Site icon Portal Carangola

Sem acordo com Globo, Mineiro pode deixar formato tradicional. Veja alternativas.

Dona dos direitos de transmissão, a Globo pode entrevistar o treinador à beira do campo, como aconteceu na final do Campeonato Mineiro deste ano — Foto: João Godinho

O futuro dos direitos de transmissão do Campeonato Mineiro de 2022 está indefinido. E, com isso, todo o planejamento dos times do interior para a próxima temporada. A competição começa no fim de janeiro. Tradicional comprador dos direitos de transmissão no futebol brasileiro desde a década de 70, o Grupo Globo enxugou gastos por conta da pandemia e mudou sua política diante do maior esporte nacional.

A Globo, que já tinha perdido o monopólio das transmissões da janela de 2019 a 2024 para a Turner, na TV fechada, também abriu mão de contratos da Copa Libertadores no ano passado. E, recentemente, viu a Record TV fechar acordos com os Campeonatos Paulista e Carioca para 2022. Em Minas Gerais, o terceiro Estadual mais bem pago do país, também sofreu um forte baque.

Em 2021, no seu último ano de contrato, a Globo pagou R$ 43 milhões, valor que contemplava todas as mídias (aberta, fechada, pay-per-view e internet). Como não há premiação no Estadual, a cota era repartida entre os clubes. Os grandes Atlético e Cruzeiro levavam cerca de R$ 14,5 milhões cada, o América, R$ 4 milhões, e o restante era repartido com as equipes do interior e a Federação Mineira de Futebol (FMF), que conduz as negociações. Os times do interior ganhavam cerca de R$ 900 mil.

A Globo tinha a preferência para a renovação do contrato do Campeonato Mineiro, mas a emissora apresentou uma proposta cinco vezes menor e em um novo formato. Segundo apurou o Super.FC, a emissora ofereceu um valor fixo para os clubes entre R$ 8 milhões e R$ 10 milhões referente à exibição em TV aberta.

Ela também propôs uma cota variável de percentual do pay-per-view, que seria mensurável de acordo com a venda de pacotes para cada torcida.
Na conta da empresa, os ganhos girariam entre R$ 15 milhões e R$ 20 milhões. Mas esses valores não eram garantidos e cairiam, em grande parte, na conta de Atlético e Cruzeiro, que têm torcidas maiores.

Essa, de toda forma, era a proposta da Globo para o Campeonato Mineiro, que não foi eliminada oficialmente ainda, mas tudo indica que a Globo sairá da transmissão, o que causa uma verdadeira revolução nos clubes do interior, que precisam da verba para sobreviver. Os acordos da Record TV com os dois maiores Estaduais do país, no entanto, aumentaram o pessimismo para o lado das montanhas de Minas.

Discussões

Passado o período de exclusividade contratual da Globo, a FMF, em consonância com os clubes, abriu conversas com outros players de mercado, dos mais tradicionais às novas tecnologias.

Super.FC apurou que há propostas e discussões da Band Minas para a TV aberta e da Amazon, da WarnerMedia, do OneFootball e da TV NSports para pay-per-view. Aconteceram conversas, mas as negociações ainda não avançaram. O certo é que nenhum delas chegará ao patamar atual oferecido pela Globo. A Record, que também se reuniu com a federação, não teria interesse, neste momento, conforme verificou a reportagem com fontes da emissora.

A reportagem procurou o Grupo Globo, por meio de sua assessoria de comunicação, no Rio de Janeiro, para se manifestar sobre as negociações relativas aos direitos de transmissão do Campeonato Mineiro, mas não obteve retorno até a publicação da matéria.

TRANSMISSÃO DO MINEIRO
Com quem a FMF e os clubes já discutiram os direitos de transmissão

TV aberta
Grupo Globo – O mais tradicional grupo de comunicação e transmissão do país e que por ano manteve o monopólio do futebol.
Record TV – Rede de TV aberta do Brasil, que já comprou direitos de transmissão, como os Jogos de Londres, em 2012, e o Campeonato Carioca de 2021.
Band – Já foi chamada de “O canal do esporte” e costuma sublicenciar eventos esportivos da Globo. Transmite atualmente a Fórmula 1 e o Campeonato Brasileiro Feminino.

Pay-per-view
Amazon – Uma das maiores empresas de tecnologia do mundo que se expandiu com a venda de programas de TV, séries e filmes sob demanda.
WarnerMedia – Conglomerado de mídia norte-americano, dono dos canais TNT, HBO, CNN entre outros.
OneFootball – Empresa alemã que cobre mais de 100 ligas esportivas pelo mundo. Ela transmite o Campeonato Francês, que tem hoje Messi e Neymar.
TV NSports – plataforma de streamig esportivo brasileiro, coma mais de duas dezenas de modalidades. Transmite a Série C e transmitiu jogos de times do interino dos Módulo I e II do Mineiro neste ano.

Fonte: O Tempo

Sair da versão mobile