Site icon Portal Carangola

Pai e filho são acusados pela Polícia Civil de matar agricultor em São João.

SÃO JOÃO DO MANHUAÇU (MG) – A Polícia Civil de Manhuaçu prendeu os lavradores Semião Gomes da Silva, 53 anos, e o filho dele Samuel Gomes da Silva, 21 anos, acusados de um homicídio em São João do Manhuaçu. Segundo o delegado Getúlio Lacerda, os dois teriam assassinado o agricultor Marcelo Justino Neto, 34 anos, numa estrada de lavoura entre Santa Margarida e São João do Manhuaçu, em dezembro de 2012.
Na época, um lavrador viu o fogo no meio da lavoura de café e foi verificar o que estava acontecendo. Ele encontrou a picape Fiat/Strada, placa HHG-9326, incendiada e notou que havia um corpo totalmente carbonizado na carroceria.
A perícia concluiu que, antes do corpo ser queimado, Marcelo Justino levou dois tiros, com revolver calibre 38. Um dos disparos atingiu a cabeça e o outro o abdômen.
Getúlio Lacerda explica que pai e irmão da namorada da vítima são acusados do crime: “Eles têm relação direta nesse crime de homicídio. O Marcelo tinha chegado dos Estados Unidos e voltou a residir com os pais. Estava namorando uma moça da zona rural de São João do Manhuaçu. Levantamos a vida pregressa dele, apuramos os dois casamentos que teve e, por último, esse namoro. A família da jovem era totalmente contra o relacionamento”.
O delegado explica que a prisão foi expedida no final de abril a partir dos levantamentos feitos no inquérito do caso. “Acreditamos nessa linha: a morte foi motivada pela não concordância do namoro, já que ele tinha se casado e separado duas vezes. O pai da menina e o irmão são acusados de terem cometido o crime”, afirma.
Semião e Samuel negam que tenham matado Marcelo e justificaram que tinham um relacionamento amistoso com a vítima. Segundo Getúlio Lacerda, eles não explicam muita coisa: “Existem testemunhas para serem ouvidas e acreditamos que iremos provar a autoria desse crime, mostrando que essa desavença existia”.


Com informações da Polícia Civil – portalcaparao
Sair da versão mobile