Portal Carangola

Cruzeiro dá outro vexame e é eliminado pela Juazeirense na Copa do Brasil.

Airton teve chance de matar o jogo no segundo tempo, mas desperdiçou — Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Quando saiu a escalação do Cruzeiro para a partida contra a Juazeirense, causou surpresa a opção de Felipe Conceição por Matheus Barbosa na vaga de Rafael Sóbis. Afinal, o veterano atacante celeste tem sido a solitária alternativa de qualidade técnica do meio para a frente. No primeiro tempo desta quarta-feira (9), no estádio Adauto Moraes, em Juazeiro (BA), a opção do treinador se mostrou relativamente acertada. Na segunda etapa, porém, o comandante estrelado fez mudanças que recuaram demasiadamente o time. O castigo veio aos 40, com Thauan.

Nos pênaltis, a Raposa foi incompetente e está eliminada da Copa do Brasil. Fábio ainda pegou um pênalti, mas não foi suficiente. Rômulo, Felipe Augusto e Matheus Barbosa erraram. Kanu, Wendell e Ian Augusto acertaram, fazendo 3 a 2. Além de cair no torneio, o clube estrelado deixou de faturar R$ 2,7 milhões de premiação. A desclassificação, mesmo com a vantagem do empate, coloca ainda mais pressão no clube que parece não encontrar caminho para sair da crise iniciada com o rebaixamento, em 2019.

Num gramado aparentemente menor do que os demais e de piso muito irregular, o duelo foi mais briga do que bola. E a Raposa, que há algum tempo tem se notabilizado pela transpiração em detrimento à inspiração, sucumbiu.

O primeiro tempo foi muito fraco tecnicamente de ambos os lados. Mineiros e baianos praticamente não criaram jogadas de perigo. Com quatro finalizações para cada lado, mas nada que assustasse Rodrigo Calaça e Fábio.

O Cruzeiro poderia alegar o baixo desempenho devido ao gramado. Contudo, a eventual justificativa não se sustenta. Isso porque, mesmo no “tapete” do Mineirão ou em outros campos em condições mais favoráveis, as dificuldades em apresentar e criar boas situações na armação e no ataque têm sido recorrentes.

Se a Raposa havia cumprido metade da missão, o Cancão de Fogo precisava partir em busca do gol. O treinador Carlos Rabello alterou o time, tornando-o mais ofensivo. Ao se lançar ao ataque, os donos da casa deram espaços, que não foram aproveitados pelo Cruzeiro por intermédio de Guilherme Bissoli, em duas oportunidades, e Bruno José. Tudo isso entre os 10 e os 13 minutos. A melhor chance, porém, foi desperdiçada por Airton. Sozinho, de frente para o goleiro, cabeceou mas não conseguiu marcar

Felipe Conceição, por sua vez, fez o inverso do treinador baiano, ao promover mudanças para fechar o time, trazendo para seu campo a Juazeirense. Nos minutos finais, a estratégia de Carlos Rabello levou a melhor.

FICHA TÉCNICA

Juazeirense 0 (3) x 0 (2) Cruzeiro
Motivo: volta da terceira fase da Copa do Brasil
Local: estádio Adauto Moraes, em Juazeiro (BA)
Cartões amarelos: Clébson, Eduardo, Waldir, Kanu, Patrik (Juazeirense); Matheus Neris, Ramon e Stênio(Cruzeiro)
Cartão vermelho: Matheus Pereira
Árbitro: Rodrigo Carvalhaes de Miranda (CBF/RJ)
Assistentes: Thiago Henrique Neto e Thiago Rosa de Oliveira (CBF/RJ)

Juazeirense: Rodrigo Calaça; Guilherme Lucena, Mineiro (Kanu), Eduardo (Wendell) e Daniel; Waguinho, Sapé (Waldir), Patrik e Clebson; Tony Galego (Thauan) e Kesley. Técnico: Carlos Rabello

Cruzeiro: Fábio; Cáceres, Weverton, Ramon e Matheus Pereira (Kaiki); Matheus Neris, Matheus Barbosa e Rômulo; Bruno José (Stênio), Guilherme Bissoli e Airton (Felipe Augusto). Técnico: Felipe Conceição

Informação: O Tempo

Sair da versão mobile