www.portalcarangola.com

O primeiro portal de notícias de Carangola-MG e região.

Portal Carangola

O 1º site de notícias de Carangola e Região

Carreta fica agarrada no trecho acidentado da BR 482 Carangola – Fervedouro

Uma carreta que transportava uma motoniveladora ficou agarrada, no trecho da Rodovia BR 482 Carangola-Fervedouro que voltou a ceder com as chuvas, causando transtorno e engarrafamento por cerca de 2h na tarde de terça-feira, dia 15-03.

No momento do ocorrido os vereadores Carlos Candinho e Tatá do Roberto, juntamente com o Deputado Federal Renzo Braz (PP MG, estavam no local para verificar as condições da estrada e solicitar do Deputado a interveniência para as providências do DNIT. Renzo Braz ligou para o Diretor do DNIT Dr Donizette que marcou uma reunião para a próxima segunda feira.

Para essa reunião uma comitiva de representantes de vários setores de Carangola irão a BH no DNIT para solicitar medidas emergenciais e a solução dos problemas apresentados no trecho .

Fonte: Francisco Cabral – Fotos Camara Municipal de Carangola

Ofertas

 


6 thoughts on “Carreta fica agarrada no trecho acidentado da BR 482 Carangola – Fervedouro

  1. Esta é a eterna novela do trecho Carangola / Fervedouro. Entra administração, sai administração e este assunto não é resolvido. Até quando persistirá esta situação? A paciência do povo carangolense tem limites.

  2.  Prefeito até quando o povo carangolense vai sofrer? sem obras com a sujeira os morros da cidade estão cheio de mato os lotes abandonadas em que cidade estamos vivendo?
    Carangola Está Acabando, desmoronando,  E o que vc esta Fazendo para ajudar a população?
    Nao foi isso que vc combinou para o povo. Estou aguardando resposta . Se vc nao responder nao está respondendo pelo povo.

  3. Aproveito esse espaço para dizer que quem quiser saber mais sobre a questão do asfalto em voga e ficar melhor informado sobre o estado das estradas da região basta ler a edição da Folha do dia 15 de março cuja manchete é: “Carangola corre o risco de ficar isolada da BR116”. Na matéria mostramos o estado das estradas que ligam Carangola a Tombos, Faria Lemos, Espera Feliz e Fervedouro e apresentamos alternativa para a questão da Estrada em questão. Esperamos que os outros meios de comunicação ao entrarem em circulação façam o mesmo. Concordo que precisamos ter mais critério na escolha de nossos representantes tanto na área federal como na estadual, pois os que aí estão não se preocupam com Carangola o que é lamentável.

  4. Infelizmente tenho que torcer para que estes trechos desabem totalmente – sem vítimas, é claro – para que sejam recuperados decentemente, senão todo ano será a mesma coisa. Há de se lembrar também que, dentro da cidade, os trechos asfaltados também estão precisando de atenção.

  5. Até qndo vai prevalecer este ato de desrespeito? Talvez até o dia q ocorrer um acidente desastroso com alguem influente…Esperamos mudanças o mais breve! E uma vergonha este trecho, um descaso total com a vida. Já fazem ANOS que nenhuma providencia digna se impos, e enquanto isto, estudantes e trabalhadores que regram economicamente Carangola e região transitam diariamente se arriscando neste trecho. A população n quer saber se a responsabilidade é da gestao municipal ou federal, queremos o q é de direito e pelo qual PAGAMOS.

  6. Passei neste trecho 2 dias antes e o degrau da pista já quase impedia que carros pequenos passassem em direção à Alvorada. Tive que passar no lugar não muito devagar. Mas o que chama atenção mesmo é a falta de força ou credibilidade política da nossa cidade, não importando a gestão, pois todos os anos é a mesma história, e as mesmas gambiarras para manter o tráfego. Essas medidas paliativas já se mostraram ineficientes e dispendiosas. Se o valor total investido em todos estes retrabalhos tivesse sido investido logo nos primeiros anos na recuperação total destes trechos, não teríamos que ler notícias como estas nem teríamos que nos submeter a um risco evitável nestas estradas, pois… nossos impostos estão todos pagos e quase não temos quase nenhum retorno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.