www.portalcarangola.com

O primeiro portal de notícias de Carangola-MG e região.

Portal Carangola

O 1º site de notícias de Carangola e Região

Cafeicultores de Simonésia ficam em 1º e 2º lugar no 5º Cupping ATeG Café+Forte

Três dos seis campeões da região das Matas de Minas do 5º Cupping ATeG Café+Forte realizado pelo Sistema FAEMG/SENAR/INAES são de Simonésia. O campeão na categoria cereja descascado, Hugo Riva Pereira, que produz café no município há 25 anos, é um deles. Ele esteve na SIC e acompanhou a premiação emocionado.

“Até chorei na hora! Fui surpreendido lá! É muito trabalho envolvido e esse reconhecimento é muito bom. Eu quero que todos os produtores passem por isso um dia. Esse foi o ponto máximo que eu atingi! Tive a sensação de dever cumprido e de que estou seguindo certo o caminho que começou com meus pais”.

A premiação no cupping foi o primeiro concurso que Hugo venceu e ele fez questão de dedicar o prêmio aos pais Fernando Gomes Pereira e Maria da Penha Riva Pereira que já faleceram, mas deixaram de herança a paixão pelo café.

“A minha vida inteira foi ao lado do café. Vi meu pai lutando com dificuldade e é muito gratificante dar continuidade ao que ele construiu. Esse prêmio foi um estímulo e a certeza de que a semente que meus pais plantaram vingou na minha vida”. O cafeicultor de 42 anos, contou que sempre trabalhou na atividade e há quatro anos investe na melhoria da qualidade do café, de olho em uma demanda do mercado.

Sobre o lote campeão, Hugo relatou que os cafés da variedade catucaí 785 amarelo foram produzidos a 1100 metros de altitude e na pós-colheita passaram 20 dias na estufa. “A dedicação, o carinho e o cuidado fazem o resultado acontecer. Saber o tempo certo de realizar cada etapa é o caminho para obter um bom produto. Estamos conseguindo mostrar que a nossa região tem potencial para produzir um excelente café”.

ATeG

O produtor faz parte do ATeG Café + Forte desde 2020 e destacou que a metodologia do programa o fez enxergar a propriedade como uma empresa. “O técnico Wandeirlei é um profissional excepcional e nos indica a forma certa de se programar e errar menos. É como uma faculdade que a gente está fazendo, porque geralmente as pessoas estudam antes de trabalhar na sua profissão, e a gente no campo muitas vezes aprende só fazendo. Antes eu não tinha noção da hora certa de vender, e hoje eu tenho. Sei os meus custos, sei quanto gasto para formar a lavoura, quanto vale o meu café, e isso eu aprendi no ATeG”.

Hugo tem 40 hectares de lavoura em produção e 20 em formação. A produtividade média é de 30 sacas por hectare, mas ele quer mais e acredita que a renovação das lavouras com o plantio de novas variedades, o ajudarão a alcançar esse objetivo.  Este ano o cafeicultor comercializou cerca de 200 sacas por R$2000 cada e a expectativa é que o prêmio do cupping possibilite novas oportunidades de negócio e valor agregado ao seu produto. A previsão é que em 2022 a safra chegue a 1500 sacas.

 Segundo lugar, primeira vitória  

A produtora Lúcia Peixoto é cafeicultora há 30 anos e foi a segunda colocada do concurso na categoria cereja descascado, com pontuação de 86,67 no lote da variedade Novo Mundo. Esse foi o primeiro prêmio conquistado por ela que administra a propriedade junto com o esposo, Geraldo Magela Peixoto.

O casal é vizinho de Hugo, e assim como ele, é atendido pelo técnico de campo Wanderlei Miranda Barbosa. A amostra premiada no cupping foi preparada em um trabalho conjunto incentivado pelo técnico que conhece o potencial e as habilidades dos produtores do grupo.

Lúcia comemorou o lugar no pódio e contou que a preocupação com a qualidade sempre existiu na propriedade. Com a chegada do ATeG eles tem se dedicado ainda mais aos processos, especialmente na pós-colheita com secadores e terreiros suspensos.

A cefeicultora também destacou o aumento da produtividade como um ponto positivo do programa. Com 36 mil pés de café, ela colheu 502 sacas ano passado, e esse ano, de baixa produtividade, foram 200, sendo 32 de cafés especiais, resultado comemorado por ela. “Estamos fazendo um trabalho maravilhoso na nossa lavoura e seguindo todas as orientações do técnico. O ATeG nos traz conhecimento, para produzir mais com qualidade”.

Depois da premiação, Lúcia quer investir na produção e comercialização de uma marca de café torrado. “Meu sonho agora é produzir café de qualidade para todos”. Além do conhecimento que o ATeG Café+ Forte proporciona, Lúcia também busca o aperfeiçoamento nos cursos do SENAR oferece em parceria com o Sindicato dos Produtores Rurais de Simonésia.  “Eu sei selecionar e provar café, já ajudei a adubar, plantar e na colheita. Todos os cursos me trouxeram um grande aprendizado”.

Técnica e amor pela cafeicultura

O técnico de campo Wanderlei Miranda Barbosa comemorou as premiações e enfatizou que todo o grupo de Simonésia está comprometido com o programa ATeG Café + Forte e aproveitando a oportunidade para evoluírem na atividade. Para ele, que também é produtor, um dos principais objetivos do cafeicultor é “encantar as pessoas com os produtos que a gente faz”.

“Há um conjunto de fatores externos que ajudam a destacar os atributos do café. No pé ele está na sua qualidade máxima, é preciso fazer a colheita no tempo certo e uma pós-colheita bem-feita para produzir cafés de qualidade superior. A dedicação e a motivação também são essenciais”, afirmou.

Para Wanderlei os resultados de Hugo e Lúcia serviram para influenciar os outros produtores da turma a acreditar e investir na produção de cafés especiais, além de dar visibilidade à região. “Parte do nosso trabalho é atingir esse objetivo e incentivar os produtores a melhorar seus processos. Agora precisamos descobrir um mercado para esses cafés de qualidade superior e fazer a ponte entre os produtores e os compradores. Acredito que o Cupping ATeG pode nos ajudar nessa missão de agregar valor a esses produtos e garantir mais lucro para os cafeicultores”, concluiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.