Villa Nova bate o Ideal e conquista o tricampeonato da Copa Integração.

“Tricampeão!”

Foi o grito dos meninos do Villa Nova após o apito final do árbitro Wesley Vilaça, que encerrou a Copa Integração 2011, categoria sub-20. O time de Nova Lima repetiu o feito de 2005 e 2008 e conquistou, desta vez de forma invicta, seu terceiro título no torneio ao vencer o Ideal de Sete Lagoas por 2×1, no Estádio JK, em Manhuaçu. O meia Henrique e o lateral Rafael marcaram para o Leão do Bonfim. Guilherme anotou para o Ideal.

 

O título premiou a equipe que só conheceu vitórias em toda a competição. Na primeira fase, o Villa Nova venceu seus seis jogos e passou ao hexagonal final. Na fase decisiva, a equipe goleou o América na primeira rodada, por 5 a 1, e voltou a bater o Coelho nas semifinais por 1 a 0. Na grande final, em um jogo equilibrado com o Ideal, grande surpresa do campeonato, ratificou sua condição de melhor clube da competição.

 

Não faltou disputa, empenho, polêmica e belas jogadas na grande final. A primeira jogada de perigo foi do Villa. No primeiro minuto, após cobrança de escanteio, o capitão Douglas Ferreira dominou na entrada da área, mas mandou para fora. Na sequência, foi a vez do Ideal quase marcar. Pelé ficou livre, com o gol aberto à frente, mas demorou a finalizar e deu chance para a recuperação do zagueiro adversário.

 

A resposta do Villa Nova foi fatal. Aos oito, em jogada de contra-ataque, o atacante Felipe achou o meia Henrique livre pela esquerda. O baixinho foi mais rápido que o marcador adversário, entrou na área e chutou cruzado na saída de Jonathan para marcar 1×0.

 

O gol no começo não assustou o Ideal. O time de Sete Lagoas chegou com perigo aos 12 minutos, em cabeçada de Jackson, e aos 18, com o meia Lucas, que chutou de fora da área. Nos dois lances o goleiro Pedro Henrique estava atento e fez boas defesas. Aos 44 minutos, Felipe perdeu uma chance clara de gol. Após cruzamento de Rafael, o centroavante ficou sozinho na pequena área, mas chutou em cima de Jonathan.

 

O Ideal conseguiu empatar logo no comecinho do segundo tempo. Em cobrança de falta na intermediária, a bola desviou no lateral Guilherme e entrou mansa no gol de Pedro Henrique, que ficou batido no lance. Com o gol, Guilherme deixou para trás Henrique, do Villa, e seu companheiro Douglas e assumiu a artilharia da competição.

 

Felipe, autor do gol da vitória do Villa nas semifinais contra o América, voltou a desperdiçar uma boa chance aos 10 minutos, quando recebeu a bola na entrada da área, mas chutou fraco, sem perigo para Jonathan. Quem chutou forte foi Rafael, que em cobrança de falta, acertou o ângulo direito do adversário aos 12 minutos e recolocou o Leão do Bonfim na frente: 2×1.

 

Em jogada muito semelhante ao gol de empate, o Ideal quase igualou novamente. Jackson fez a cobrança, Guilherme desviou e Pelé, sozinho no “segundo pau”, mandou para fora, para desespero do técnico Luiz Cláudio Guimarães, que já comemorava.

 

Aos 25 minutos, o Villa Nova reclamou muito de um impedimento marcado pelo assistente Willian Ferreira, que anulou o que seria o terceiro gol do time. Os dirigentes do time de Nova Lima pressionaram muito o bandeira, o que culminou na expulsão do coordenador da equipe, Chico Spina.

 

Precisando do empate para forçar os pênaltis, o Ideal seguiu pressionando, mas sem ameaçar o goleiro Pedro Henrique, escolhido o melhor da competição. O meia Henrique, grande destaque do Leão do Bonfim na competição, assumiu para si a responsabilidade de controlar o jogo. Recebeu a maioria das bolas e conseguiu conter os ânimos do adversário, administrando a vantagem.

 

Aos 34 minutos, o Villa ainda teve outra chance de ampliar. Após belo lançamento de Henrique, Rafael entrou sozinho pela esquerda, mas chutou para fora. Foi o último lance de perigo da partida. O Villa tocou bem a bola e só esperou o apito do árbitro para iniciar a festa do tricampeonato.

 

Premiação

 

Além de levantar a taça de campeão, o goleiro Pedro Henrique, do Villa, recebeu o troféu como o melhor da posição. O ideal recebeu o troféu como vice-campeão e seu lateral esquerdo Guilherme, de artilheiro.

 

Após a premiação e a volta olímpica, o time seguiu para a cidade de Reduto, onde está hospedado, para continuar a festa. A delegação deixa a Zona da Mata na manhã deste domingo e, certamente, será recebida também com muita alegria em Nova Lima.

 

Ficha do Jogo

 

Villa Nova 2×1 Ideal

Local: Estádio Municipal JK – Manhuaçu (Minas Gerais)

Data: 07 de Maio de 2011

 

Árbitro: Wesley Vilaça

Assistente 1: Willian Ferreira

Assistente 2: Romildo Dias

 

Cartões amarelos: Marcão, Jackson e Juninho (Ideal); Douglas Ferreira (Villa Nova)

 

Gols: Henrique (Villa Nova), aos oito minutos do primeiro tempo. Guilherme (Ideal) aos dois e Rafael (Villa Nova) aos 12 minutos do segundo tempo.

 

Villa Nova: Pedro Henrique, Ricardo, Wesley, Willan e Rafael; Marcelo, Douglas Ferreira, Douglas Sacramento (Pedro Ari) e Henrique; Felipe (Wallesson e Paulo (José Alves). Técnico: Pirulito.

 

Ideal: Jonathan, Leandro (Vitinho), Marcão, Pedro (Davisson) e Guilherme; Jackson, Juninho (Robson), Lucas (Sertão) e André; Pelé (João Paulo) e Joninha. Técnico: Luiz Cláudio Guimarães.


Fotos: jornalista Carlos Cruz.

Ofertas

 


Sobre o Autor

has written 4495 stories on this site.

Webmaster do Portal Carangola. admin@portalcarangola.com

Escreva seu comentário

Gravatar são pequenas imagens que podem mostrar sua personalidade. Você porde pegar o seu gravatar grátis!

Seu nome e email serao checados,se não forem validos, seu comentário não será publicado

Seu email será CHECADO mas não será divulgado

Copyright © 2020 Portal Carangola . All rights reserved. Powered by Webmaster webmaster@portalcarangola.com