Enchente em Manhuaçu

Manhuaçu

Manhuaçu

Depois de todo o dia de apreensão, o nível das águas do rio Manhuaçu subiu drasticamente nesta terça-feira à noite. Agora pela manhã, as águas começaram a baixar.  Num efeito dominó, acumulam-se acidentes, quedas de paredes, rachaduras em casas e deslizamentos de barrancos sobre casas, ruas e estradas.
A partir de 19 horas, o nível das águas do rio Manhuaçu subiu muito, inundando ruas, fechando todas as pontes e afetando locais que não haviam sido inundados, como o bairro Coqueiro e rua Desembargador Alonso Starling.

REGIÃO DO CENTRO

Por volta de meia-noite, as águas do rio Manhuaçu começaram a inundar a ponte da rua Leandro Gonçalves (ponte do antigo Free Box), umas das passagens remanescentes entre os dois lados da cidade. Na rua Desembargador Alonso Starling, a água tomou todo o trecho perto da loja Solar até a ponte do Ginásio (rua Alencar Soares Vargas). O trecho na descida da Igreja Presbiteriana também foi inundado nesta noite.

A ponte da rua Luís Cerqueira permaneceu o dia todo submersa. Agora à noite, as águas cobriram o guarda corpo e entraram nos pátios dos postos de combustíveis próximos. A rua Juventino Nunes é um verdadeiro rio entre a Farmácia Manipular e as proximidades do Clube das Mães.

No Coqueiro, a água invadiu a avenida Getúlio Vargas na subida com a Duarte Peixoto. Comerciantes e moradores correram para retirar móveis e mercadorias antes que água chegasse. Muita gente foi para casa de parentes com receio de ficar ilhada.

RODOVIÁRIA E SANTANA

Na região da rodoviária, o córrego Pouso Alegre transbordou na rua do Triângulo. O local virou um rio, carregou lama para toda a praça e o espaço do terminal rodoviário. Não havia condições para embarque e desembarque de passageiros.

O rio seguiu pela avenida Salime Nacif até a esquina com Barão do Rio Branco e Raimundo Soares Vargas (entrada do Engenho da Serra). Todo esse trecho ficou inundado. Comerciantes e moradores foram pegos de surpresa. Eles conseguiram salvar muita coisa, mas a sujeira toma conta do trecho.

SE VOCÊ TEM FOTOS OU SABE ALGO SOBRE OS DANOS DA ENCHENTE, ESCREVA UM E-MAIL PARA NÓS: portalcaparao@gmail.comEste endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email

No bairro Santana, há registros de barrancos que cederam na região das ruas Simão Francisco Romão e Caparaó.

ENGENHO DA SERRA E BOM PASTOR

O quadro do Engenho da Serra é muito complicado. O bairro passou grande parte do dia isolado. Sem acesso pela entrada da rodoviária, na ponte da delegacia, o rio também inundou trechos da avenida Melo Viana, da rua Abalem Chibel Nascif e da rua Maria Alexandrina.

O único acesso era pelo bairro Santa Terezinha. Barrancos cederam naquele local e durante a noite a passagem ficou limitada a pedestres.

No Bom Pastor, o trecho em frente a delegacia e no Posto Bazém está inundado desde cedo. O quadro só se complicou durante a noite e o córrego Coqueiro Rural transbordou mais.

OLÍMPIO VARGAS E JÚLIO BUENO

Na ponte da Tinauto, na rua Faustino Amâncio, as águas chegaram a cobrir o guarda-corpo por volta de meia noite. Para chegar ao bairro Sagrada Família somente passando pela Praça Antônio Brum.

E por falar em praça, o antigo parquinho (Praça Martins Fraga) foi cercado pela água do rio Manhuaçu. O grande volume de água represado no trecho impressiona. A rua Júlio Bueno foi inundada de uma ponta a outra. O mesmo aconteceu com a ponte da rua Joaquim Gonçalves Dutra (chamada ponte estreita). Na Antônio Welerson, a inundação começou perto da Transpneus e se estendeu até a região da Loja Maçônica União Liberdade e Justiça, cobrindo o guarda-corpo da Ponte dos Arcos.

Em vários becos e ruas que descem das ruas principais e terminam no rio Manhuaçu, casas e lotes foram inundados. A água já estava na rua desde cedo, mas acabou tomando mais espaço.

VILA DEOLINDA E PONTE DA ALDEIA

Na região da Vila Deolinda, no acesso ao bairro Lajinha e na Ponte da Aldeia, todos os locais que ficam próximos da margem do rio foram inundados. Na estrada para Ponte do Silva, o trecho em frente a Parmalat/SPAM ficou submerso o dia todo. Agora à noite, ficou impossível passar até com caminhões e tratores.

BARRANCOS

Há registros de queda de barrancos em vários locais da cidade e zona rural. Há dezenas de estradas vicinais com problemas e até algumas interditadas. Em alguns pontos da cidade, moradores tiveram que deixar os imóveis, como bairros Santa Terezinha, Nossa Senhora Aparecida e Engenho da Serra. Atrás da sede da APAE, também houve registros de deslizamento de terra.

ZONA RURAL

Na zona rural, as informações ainda são vagas. Moradores de Ponte do Silva, Vila Formosa e Vila Cachoeirinha são os mais castigados. Em Realeza, também houve inundações, bem como Santo Amaro de Minas – as manilhas por baixo da BR-262 não conseguiram escoar a água do córrego do distrito. A água represada voltou para as casas e ruas.

No Córrego Palmital, uma casa caiu, mas os moradores conseguiram sair antes e ninguém se feriu.

Carlos Henrique Cruz – 07/01/09 – 01:13 – portalcaparao@gmail.com

http://portalcaparao.com.br

Ofertas: eletrônicos

Sobre o Autor

has written 4495 stories on this site.

Webmaster do Portal Carangola. admin@portalcarangola.com

Escreva seu comentário

Gravatar são pequenas imagens que podem mostrar sua personalidade. Você porde pegar o seu gravatar grátis!

Seu nome e email serao checados,se não forem validos, seu comentário não será publicado

Seu email será CHECADO mas não será divulgado

Copyright © 2020 Portal Carangola . All rights reserved. Powered by Webmaster webmaster@portalcarangola.com